Nobreak: qual escolher?

Na hora de adquirir nobreaks, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre qual o modelo ideal para a sua aplicação, pois desconhecem as principais características de cada um deles. Por isso, nesse post, vamos ajudá-los a entender mais sobre esse assunto.




Os nobreaks podem ser divididos em dois grandes grupos: off-line e on-line. Dentro desses grupos existem subdivisões, como a linha interativa e a dupla conversão. Além disso, eles ainda podem ser classificados pelo tipo de onda que emitem: senoidais, semisenoidais e quadrada.


A forma como os nobreaks se comportam durante uma queda de energia é a grande diferença entre os nobreaks on-line e off-line.

O nobreak off-line inicia a alimentação dos equipamentos a partir do momento em que há falta de energia. O tempo para que essa ativação ocorra dura milisegundos, normalmente supridos pela fonte dos computadores. Entretanto, mesmo esse minúsculo intervalo de tempo pode ser prejudicial para equipamentos mais sensíveis.


Já os nobreaks on-line estão sempre alimentando os equipamentos pelas baterias, sendo assim, quando há queda de energia, não existe tempo de ativação para as baterias. Ou seja, a energia passa para o nobreak e o nobreak alimenta os equipamentos diretamente pela bateria. Dessa forma, a bateria está sempre carregando e distribuindo energia. É o modelo ideal para equipamentos mais sensíveis e que não podem sofrer com alterações na energia.


A seguir, explicamos melhor cada um deles.


Stand-By (Off-Line)


Os modelos offline são os mais simples do mercado, oferecem eficiência e baixo custo. Por serem mais acessíveis, são os mais vistos em residências e escritórios. Têm um curtíssimo tempo de ativação das baterias que não é suficiente para fazer os computadores reiniciarem ou desligarem, o que faz que sejam excelentes para computadores, televisores, monitores, roteadores, entre outros.


Para equipamentos mais sensíveis como servidores e equipamentos hospitalares, não são indicados. Além disso, os nobreaks offline não fazem a função de estabilizador de tensão.

Interativo (Off-Line)


Os modelos Interativos são intermediários entre os offline e os online. A maior diferença entre eles é a capacidade de fazer a estabilização da tensão. Ou seja, caso haja sobrecarga na tomada, o nobreak diminui a tensão, e aumenta a tensão caso haja subtensão. Por ser um tipo de nobreak offline, também tem intervalo entre a queda de energia e a ativação das baterias e também não são indicados para equipamentos sensíveis.


Dupla Conversão (On-line)


Os nobreaks online são os de custo mais elevado e que oferecem a tecnologia mais avançada. Toda a energia que passa para os equipamentos, passa pelo nobreak antes. Isso faz com que a energia seja sempre constante e sem variações.


Como o nobreak está sempre fornecendo energia, não tem intervalo entre a ativação das baterias e as quedas de energia. Por este motivo são excelentes para equipamentos mais sensíveis como servidores, dispositivos usados em hospitais, bancos, entre outros.


Também vêm com entrada USB para monitorar o consumo de energia, a tensão nas tomadas, bem como programar computadores para que desliguem e religuem automaticamente durante e após picos ou faltas de energia


Formato de onda dos nobreaks

Outro fator importante sobre os nobreaks é qual o tipo de onda que eles fornecem. Existem 3 tipos de ondas que podem ser formadas pelos nobreaks: ondas quadradas, semisenoidais e senoidais.


A rede elétrica, com exceção dos casos de problemas na distribuição, fornece ondas senoidais, por isso, os produtos são criados para que sejam alimentados com esse tipo de onda.


A seguir, descrevemos mais profundamente cada tipo de onda:

  • Onda quadrada: As ondas quadradas tem picos bem demarcados e representam alterações mais bruscas. Os nobreaks com esse tipo de onda são mais simples e são indicados para aplicações básicas. Aparelhos de som, por exemplo, podem apresentar ruídos ou mau funcionamento quando alimentados apenas pelo nobreak, no caso de falta de energia.

  • Onda semissenoidal ou senoidal aproximada: A onda semissenoidal é uma opção intermediária, melhor do que a onda quadrada e um pouco mais econômica que a opção senoidal. Neste tipo, as variações são feitas em intervalos maiores, o que evita as variações bruscas encontradas nas ondas quadradas.

  • Onda senoidal ou senoidal pura: A onda senoidal é a onda mais limpa, indicada para produtos sensíveis que necessitam de uma corrente contínua sem mudanças bruscas. É o mesmo formato de onda fornecido pela companhia elétrica e não causa danos aos equipamentos.


E agora, você conseguiu entender a diferença entre os nobreaks disponíveis no mercado?


Invista no nobreak ideal para a sua aplicação e garanta a segurança de seus equipamentos e dados. A Powercom Brasil trabalha com nobreaks da topologia interativo senoidal (conforme a norma NBR 15014 da ABNT).


Faça seu orçamento com a gente!

Adaptado de: https://www.bztech.com.br/blog/como-escolher-o-melhor-nobreak-e-quais-modelos-existem#:~:text=Basicamente%2C%20os%20nobreaks%20podem%20ser,(senoidal%20aproximada)%2C%20quadrada.

Contato: (41) 3016-7181 | WhatsApp: (41) 98854-7552

Rua Umuarama, 118, Galpão 22 - Bairro Emiliano Perneta, Pinhais - PR, 83325-000, Brasil

Rod. Estadual SC 108, S/N, KM 333 – Bairro Samuel Sandrini, Orleans - SC, 88870-000, Brasil

 

powercom@powercombrasil.com.br

© 2018 by Another Other